O linchamento de Zezé Polessa



“Confesso não ter muita paciência para o chamado efeito-manada nas redes sociais. Por isso não tinha lido muita coisa sobre o episódio da atriz Zezé Polessa com o motorista que trabalhava para a Globo.

Li, agora, uma reportagem de O Dia sobre o tema. Entrevistaram a filha do motorista. Ele era cardiopata, sentira-se mal no dia fatídico, a ponto da filha pedir que não fosse para o trabalho. 

Foi, pegou a atriz – que tinha compromisso de gravação – e levou-a a um endereço errado. Teria levado uma bronca. Deixou a atriz, piorou (pois já estava mal quando saiu de casa, a ponto de sua situação chamar a atenção da filha), foi para um hospital onde morreu.

“Luciana Lopes, de 30 anos, filha de Nelson, conversou ontem com a coluna. Segundo Luciana, Nelson saiu para trabalhar na segunda-feira de manhã contra a vontade dela. “Ele não estava se sentindo muito bem e eu pedi que ele ficasse em casa. Mas meu pai teimou. Disse que ia buscar a Zezé Polessa rapidinho e que por volta do meio-dia já estaria em casa. Só que ele não voltou”, revelou. Luciana contou ainda que o pai ligou pra ela avisando que estava passando mal”.

Criou-se o linchamento. A atriz foi acusada de assassina pelo mero fato de ter-se irritado com um motorista que errou o endereço.

Começa o jogo de exploração da catarse.

Pelo Google chego no Yahoo Notícias a um colunista educadíssimo (“algumas pessoas estranham o fato de eu cumprimentar absolutamente todo mundo quando entro em um ambiente fechado” pois foi educado “por minha saudosa mãezinha, a gloriosa dona Irene”), brilhantíssimo (entrou no “universo da televisão” graças a uma entrevista ao Jô (e remete o prezado leitor para três links da entrevista), modestíssimo, pois alvo de todos os olhares das “pessoas da TV” (diz que pessoas da TV “ainda entranham ao me ver cumprimentando e brincando com faxineiras”). Não fosse o episódio Zezé Polessa, como o mundo saberia de tantas virtudes escondidas?

Agora vem a notícia de que a recém-futura-famosíssima promotora de justiça Christiane Monnerat vai abrir investigação contra a atriz, acusando-a de atentar contra o Estatuto do Idoso. Se a atriz sabia que o motorista era cardiopata, poderá ser inidiciada por homicídio culposo, diz ela. Faltou dizer que, se a atriz furou os olhos do motorista, será indiciada por homicídio doloso. Se planejou o crime no dia anterior, por homicídio premeditado. E se não fez nada isso, é uma desmancha-prazer por impedir que as pessoas justas possam se promover ainda mais e aproveitar o curso de media training que provavelmente frequentou para se preparar para esses momentos de brilho.

Argumentos recorrentes

Quem quiser ser um linchador virtual (seguindo o mesmíssimo modelo dos linchamentos midiáticos) a fórmula é simples:

1. A busca de culpados.

Tragédias sem culpados não promovem a indignação. Sempre trate de encontrar um culpado. Pode ser o INSS, que não aposentou o motorista; a empresa para a qual ele trabalhava, que não acompanhou seu estado de saúde; a Globo, que contratou a empresa; o Lula que não deixou o INSS aposentar o motorista. Mas se for uma pessoa física, com CIC e RG, é melhor ainda.

2. A solidariedade com a vítima.

Na hora de buscar os culpados, sempre se coloque como defensor da vítima. Pode acusar quem quiser, até o Papa, desde que, se alguém reagir contra suas acusações responda que "daqui a pouco o motorista é que vai ser condenado". Jamais deixe passar a impressão de que você é um explorador de tragédias para benefício próprio: poder mostrar-se "generoso", "indignado", "solidário". Para efeito externo, você é um justiceiro solidário com a vítima.

3. Não se esqueça de mencionar o poder do acusado.

Essa malandragem é boa. Aqui entre nós, sabemos que uma atriz é uma atriz, uma estrela é uma estrela. A acusada é atriz, classe média, descartável. Mas, como trabalha na Globo, invoque essa condição na hora de rebater as defesas que possam ser feitas dela.

4. Descubra a preferência política da acusada.
Essa é ótima. Depois de descobrir mostre como ela foi influenciada por todos os valores divulgados por aqueles canalhas que fizeram sua cabeça política.”

6 comentários:

João Carlos disse...

É, seria mais ou menos assim:
-Pedirei aos meus familiares que quando eu morrer, entrem na justiça contra o governo deste país por ter privado-me de uma alimentação mais barata, não ter dado uma condição melhor de moradia, fazer eu ter pago muitos impostos e por aí vai.
Todo quanto tipo de coisas que ivesse gerado em mim,stress e insatisfação que fez com que minha extinta vida ficasse mais curta.
Procurar um jeito de condenar esta atriz é o caminho mais curto para
demostrar a mentalidade de nosso povo.
Agiu errado? Agiu, mas culpá-la por isto que aconteceu é realmente
também cometer um crime.
Desejo condolências à família deste senhor falecido, mas desejo tambem bom senso as pessoas "juízes" que infestam este país.


União de Adolescentes de Cassilândia disse...

Promotora de Justiça se escreve em caixa alta, premeditação não é crime, o Ministério Público tem a função de zelar pelo cumprimento do estatuto do idoso e demais legislações independente se é atriz ou motorista de táxi. Zezé pode ser seu ídolo, mas não está acima da lei. Também não tem direito de desrespeitar as pessoas só porque é empregada da Globo. E para o outro leigo que comentou,os membros da justiça tem de cumprir seu papel, se há mídia ou não. Aliás, para chegar lá precisa ter muito estudo, dedicação e principalmente, algo que falta em você e no autor deste texto ridículo: consciência social, independente de ser pobre, velho, famoso ou não.

jessica disse...

Ok eu entendo que acusá-la de qualquer coisa realmente não é muito viável. Mas é bom pra ela aprender a ser mais educada. A mulher é um ogro, totalmente arrogante. Quem já ficou no mesmo hotel que ela, e voou no mesmo avião sabe. Mau educada ao extremo! Se tiver um pingo de vergonha na cara, pelo menos aprende algo com tudo isso.

Mario André disse...

Tendencioso. Vá babar ovo da Polessa então. Você alguma vez na vida leu o estatuto do idoso? Ou mesmo já foi destratado a ponto de ameaçarem seu emprego? Postura ridícula, ela é sim culpada, o Regis Tadeu falou toda a verdade. Você é que é um elitista.

Anônimo disse...

o estatuto do idoso serve para proteger aos idosos de maus tratos, sem defender a essa sra polezza, que para mim é uma mera cidadã que tem um trabalho que a deixa mais evidente que os demais, mas se alguém que está me levando a algum lugar, erra o endereço, na boa, sai da vida, pq se faz apenas isso, é de se esperar que o faça bem e de forma direita, qualquer um com a vida um pouco agitada tbm ficaria irritado e tbm soltaria um belo e sonoro PQP, massssssss

e em tempo, o estatuto tbm serve para defender a todos os demais dos desmandos dos idosos, pessoas que por serem mais velhas acham que podem tudo, inclusive estar acima das leis.

exijir respeito e direitos, assim como repeitar os direitos dos outros.

Darlana Godoi disse...

Alguém descobriu o que ela falou pra ele???? Vai que foi Avada Kedavra????